No início do ano, muitas pessoas fazem novas resoluções, mas nem sempre se recordam de dar uma atenção especial à saúde. Se essa parte estiver prejudicada, muitos planos, com certeza, não poderão ser concretizados. Que tal se dedicar à sua saúde auditiva? Comece 2019 se cuidando para não ter perda de audição.

Resultado de imagem para perda auditiva

 

Abaixo a otorrinolaringologista da Clínica Dolci, Ana Carolina Cassanti explica quais são os principais tipos desse problema.

Perda auditiva condutiva: ocorre quando há algum bloqueio no caminho em que o som percorre até chegar na orelha interna. Isso pode envolver malformações do órgão da audição e do equilíbrio, alguma obstrução no canal do ouvido como exceção de cerume (cera), perfuração no tímpano, desgaste ósseo no sistema ossicular (formado por três ossinhos – martelo, bigorna e estribo), líquidos ou tumores na região. “Na maioria das vezes é possível melhorar a perda auditiva condutiva por meio aparelhos auditivos, procedimentos clínicos ou cirúrgicos”, explica a especialista.

Sensorioneural: é a consequência de problemas a partir do órgão da audição, ou seja, na orelha interna (cóclea) ou no nervo coclear. A causa dessa perda pode ser por infecções virais ou bacterianas, distúrbios metabólicos, causas traumáticas (trauma acústico ou perda auditiva induzida por ruído), medicamentos ou fatores degenerativos e tumores no nervo da audição.

Perda presbiacusia: relacionada à idade, tem causa multifatorial nos quais destacam fatores genéticos, gênero e exposição a ruído. Geralmente, tem início aos 40 anos com progressão lenta e gradual. “A perda de audição é pior nos sons agudos e determina dificuldade para escutar, inicialmente, e após evolui com dificuldade na compreensão das palavras. Também é uma deficiência sensório neural e a partir de um determinado tempo, existe a indicação de aparelhos auditivos”, esclarece Ana Carolina.

Perda auditiva central: essa condição não limita necessariamente a sensibilidade auditiva, porém causa graus de dificuldades na compreensão do que é ouvido. Pode ser desencadeada por alterações nas formas de preparação da informação sonora no sistema nervoso central.

Perdas mistas: É quando ocorre uma combinação da perda auditiva condutiva com a sensorioneural. As opções de tratamento podem incluir medicamentos, cirurgia, aparelhos auditivos ou implantes auditivos de ouvido médio.

A surdez pode ser causada por diversos fatores. Em alguns casos ela é reversível, em outros, não. “Uma boa avaliação com especialista e um acompanhamento clínico são indispensáveis para um diagnóstico preciso e uma conduta adequada e individualizada”, finaliza a otorrinolaringologista.

 

Fonte : https://www.noticiasaominuto.com.br/lifestyle/686253/conheca-5-principais-tipos-de-perda-auditiva

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *